A derrota

Ao contrário das vitórias, as derrotas, para além de perder os pontos, pode contribuir para uma baixa motivação dos atletas e do grupo em si, frustração, tristeza entre outros sentimentos de fracasso. Mas, é sempre bom lembrar que quem está a competir pode ser derrotado, e pode vencer também.

Perante uma derrota, o mais importante são as atitudes/ações que as equipas (atletas, treinadores, equipa técnica e a Direção) adoptam posteriormente. Aprender com a derrota é uma estratégia que pode ser adotada para obter um resultado positivo no futuro.

Nesse sentido, segue alguns exemplos de ações a adotar perante um resultado negativo:

  • analisar o que ocorreu mal, identificar os erros cometido e corrigi-los para não se repetir no futuro, (importante aceitar)
  • não individualizar para culpabilizar elementos do grupo
  • se for necessário alterar as estratégias, táticas e dinâmicas do treino e do jogo
  • encorajar e incentivar os atletas
  • utilizar o discurso sempre na primeira pessoa de plural “nós” e não “eu, tu ou vocês”
  • transmitir confiança para o grupo
  • transmitir a mensagem de forma clara e objetiva e verificar  se ela é  aceite pelo grupo
  • dar a palavra e ouvir os atletas
  • desafiar os atletas no sentido de melhorar a qualidade dos seus trabalhos (mais esforço, dedicação, concentração, ambição e foco)
  • ser otimista e acreditar na capacidade e qualidade do grupo
  • rever/estabelecer regras a ser compridas
  • manter o grupo como um “todo” e não como as somas das suas partes, isto é, manter o grupo unido.

Aceitação tornar-se importante no que diz respeita a aprendizagem, uma vez que permite ver as coisas como elas realmente aconteceram, evitando possível manipulação de lembranças na sua mente.

É possível aprender com as derrotas, tirar lições positivas delas, visando os objetivos da equipa, transformar a derrota numa das peças para alicerçar os seus sonhos.

Digo sempre, que o mundo está sempre em movimento e nos movemos nele, por isso, a derrota não é uma situação definitiva.